Podemos afirmar que a cirurgia bariátrica trouxe benefícios para a qualidade de vida dos pacientes, porém não foi suficiente para evitar o reganho de peso, haja vista o evidente reganho de peso associado aos fatores emocionais que contribuíram para esse processo. Ainda, as intervenções comportamentais com a equipe multidisciplinar podem ajudar a fornecer suporte social mais adequado a pacientes com reganho de peso pós-cirurgia bariátrica e, assim, promover melhora da saúde e da qualidade de vida dessas pacientes. Compreendemos que a obesidade é um alvo de convergência de esforços de profissionais da área de saúde, sendo uma das maiores preocupações da atualidade em termos de saúde pública. Entretanto, de modo interdisciplinar, deve-se ter em mente que a promoção e suporte social devem ser compatíveis com as necessidades dos pacientes. 

Para estudos futuros acreditamos ser importante abordar os fatores emocionais no reganho de peso a partir da escuta clínica, onde possam ser reconhecidos e privilegiados os aspectos de defesa e proteção do reganho de peso, pois estes são fundamentais para o sucesso na clínica da obesidade.

Ensaios da Psicologia Hospitalar: Atendimento com Humanização e Sensibilização, demonstra como o atendimento psicólogo na Instituição Hospitalar é de máxima importância, ressaltamos que o paciente quando realiza internamento trás com ele todo contexto familiar, além da doença, em alguns casos o adoecimento é a somatização de vários problemas nos quais não consegue resolver… 

Além de estudo de caso apresenta um pouco a realidade e os conflitos familiares diante da aceitação, o preconceito do paciente na sua individualidade e sua aceitação diante da família, como o psicólogo deve agir diante de tanto conflitos familiar! O Hospital um campo amplo para humanização e sensibilização, precisamos ser sensível diante do atendimento com o outro, lidar com doenças, preconceitos, conflitos familiares, além da equipe multiprofissional que em alguns casos não estão sabendo lidar com tantos acontecimentos, situação e a finitude. Diante da nossa cultura quem está preparando para lidar com a MORTE, mesmo dentro de um Hospital, convivendo todos os dias, ainda não estamos preparados pra ela, ajudamos a salvar vida, SIM, lidamos com Depressão, Suicídio. Salvamos vida quando diante de um atendimento aquele ser humano não desistiu da vida e resolveu VIVER, apresentamos para o paciente um mundo cheio de possibilidade…. fazendo ele entender que saberá lidar com os problemas e a doença. Sendo assim caro leitor quero que este livro tenha grande finalidade para se entender a importância do Psicólogo na Instituição Hospitalar.